windbyinternet portugues ingles frances espanhol alemao O Portal da Construção | O Portal Saúde | O Portal de Turismo | O Portal de Negócios | Luxos Online | Shopping Online | Shopping Lisboa | EasyPro

packs lojas Notícias

Apenas um terço das lojas online cumpre normas europeias de defesa do consumidor

2020-02-07
A Comissão Europeia e as autoridades de proteção do consumidor alertam comerciantes para se ajustarem à lei da UE.
Bruxelas publicou os resultados de uma sondagem feita a quase 500 lojas eletrónicas de venda de produtos como roupa, calçado, mobílias, eletrodomésticos e outros bens. As lojas espalhadas por 27 países foram investigadas pelas autoridades da proteção do consumidor em coordenação com a Comissão Europeia. O resultado do estudo demonstra que dois terços dos websites sondados não estão em conformidade com os direitos de consumidor básicos da União Europeia.

O Comissário da Justiça, Didier Reynders, revelou que é inaceitável que os cidadãos europeus não sejam corretamente informados sobre os seus direitos relativamente às entregas online em 2 a cada 3 lojas digitais. A lei europeia confere aos consumidores o direito de devolver os bens 14 dias após a compra, o que dá uma maior confiança ao espaço de compras online. E esta informação não é corretamente apresentada aos mesmos.

Discriminando as irregularidades cometidas pelas lojas online, o estudo refere que mais de um quarto não informa os consumidores como anular um contrato. A lei diz que esta informação deve ser apresentada de forma clara, especificando o direito de devolver os bens 14 dias após os receber, sem a necessidade de justificação. E ainda sobre o assunto, quase metade dos websites não tinham uma informação clara sobre o tempo limite da devolução a partir do momento em que a loja era notificada da intenção de devolver.
Em um quinto dos websites, o preço inicialmente mostrado estava incompleto, faltando-lhe o valor do transporte ou a possibilidade do cliente pagar taxas adicionais para a entrega. Cerca de um terço dos websites não informa os clientes sobre a garantia mínima de dois anos para a reparação dos artigos, a sua eventual substituição ou restituição do valor no caso de defeito no ato de entrega.

O estudo indica ainda que 45% dos websites não disponibilizavam o link para a plataforma online de resolução de disputas. E por fim, um quinto dos comerciantes online não respeitam o regulamento do geo-blocking, que confere aos consumidores a possibilidade de comprar bens em lojas online mesmo que não entreguem no seu país de residência, considerando que os clientes preencham uma morada para um país contemplado pela entrega.
Na consequência da sondagem, a bola foi agora passada às autoridades nacionais para investigarem a fundo os websites identificados com as irregularidades, para que as empresas de vendas online as possam corrigir.

Fonte: https://tek.sapo.pt/noticias/internet/artigos/apenas-um-terco-das-lojas-online-cumpre-normas-europeias-de-defesa-ao-consumidor

COVID-19 - Pacote de medidas de 18 de março 2020
No seguimento da aprovação das medidas aprovadas pelo Governo da Republica Portuguesa, passamos a expor a comunicação da AIP-Associação Industrial Portuguesa / CCI -Câmara...

O que falta ao comércio eletrónico em Portugal?
Os anos 2000 foram marcados pela difusão da internet e, posteriormente, pelo desenvolvimento de negócios na área do e-commerce e venda de produtos físicos online. Portugal,...

AKI com os melhores números de sempre nas vendas através da internet
Julho foi o mês mais forte de sempre do AKI nas encomendas online, com os números a subirem 168% face ao mesmo período do ano passado e as visitas a crescerem 50%. Em valor...

O Comércio tradicional está a transformar-se
O comércio tradicional está a transformar-se com o aparecimento do comércio online, que obrigam as lojas físicas a esforçar-se para atrair os clientes e modernizar-se. Em...

96% dos compradores online tencionam continuar a fazer compras através destas plataformas
Um em cada quatro portugueses vai gastar mais em compras online. A tendência é a de que os consumidores continuem a fazer mais compras através dos canais digitais. O Estudo...

Confiança e comodidade levam os portugueses a aderir ao e-commerce
Confiança e comodidade são os fatores que os portugueses consideram fundamentais para aderir ao e-commerce. De acordo com um estudo publicado pela Levelsource, e que inquiriu...

COMPRAS ONLINE MAIS FÁCEIS, JÁ NÃO EXISTEM FRONTEIRAS NA UNIÃO EUROPEIA
O PARLAMENTO EUROPEU ANUNCIOU O FIM DO BLOQUEIO GEOGRÁFICO, QUE PERMITIRÁ UM COMÉRCIO MAIS LIVRE E ABERTO EM TODA A UNIÃO EUROPEIA. LIVROS, MÚSICA E JOGOS DE FORA. Muitos...

E-commerce. Cada vez mais compras online e com tendência para subir
Com cada vez mais pessoas a utilizarem a Internet e a fazerem compras online, o comércio eletrónico está num momento de viragem potenciado pela combinação entre o social e o...

Brasil e Portugal assinam acordo para ampliar e-commerce entre países
Parceria deve diminuir tempo médio para entrega de encomendas registradas de 40 dias úteis para 12 dias após liberação pela Alfândega. Brasil e Portugal assinaram nesta...

Metade das compras 'online' nacionais são feitas em retalhistas que operam em Portugal
Metade das compras na Internet feitas em Portugal é realizada em retalhistas que operam no mercado português e um quinto em entidades que operam na Europa, de acordo com um...

close Estamos a usar cookies para lhe dar a melhor experiência em nosso site. Ao continuar a utilizar o nosso website concorda com a nossa utilização de cookies.
Para mais informações leia a nossa Politica de Privacidade

top