windbyinternet portugues ingles frances espanhol alemao O Portal da Construção | O Portal Saúde | O Portal de Turismo | O Portal de Negócios | Luxos Online | Shopping Online | Shopping Lisboa | EasyPro

packs lojas Notícias

COMPRAS ONLINE MAIS FÁCEIS, JÁ NÃO EXISTEM FRONTEIRAS NA UNIÃO EUROPEIA

2018-03-04
O PARLAMENTO EUROPEU ANUNCIOU O FIM DO BLOQUEIO GEOGRÁFICO, QUE PERMITIRÁ UM COMÉRCIO MAIS LIVRE E ABERTO EM TODA A UNIÃO EUROPEIA. LIVROS, MÚSICA E JOGOS DE FORA.

Muitos consumidores já foram confrontados com um bloqueio geográfico (“geo-blocking”) ao efectuarem compras pela Internet noutros países da UE. Quando um cliente entra numa loja noutro Estado-Membro, não lhe é exigida identificação para efetuar uma compra. Porém, no mundo ligado, é recorrente os consumidores serem impedidos de aceder a ofertas de outros países, sendo, por exemplo, reencaminhados para outro sítio Web devido ao seu endereço IP ou convidados a pagar com um cartão de débito ou de crédito de outro país.


Contudo, essa situação vai mudar. O Parlamento Europeu aprovou o fim das barreiras injustificadas no comércio electrónico. Os consumidores que efectuam compras pela internet vão poder beneficiar de uma escolha mais ampla de produtos e serviços, como equipamentos electrónicos, alojamento em hotéis, eventos desportivos, aluguer de automóveis ou bilhetes para festivais de música, conforme é explicado em comunicado de imprensa.

As novas regras, aprovadas no Parlamento Europeu (PE) por 557 votos a favor, 89 contra e 33 abstenções, visam pôr termo à discriminação injustificada no comércio online dentro da União Europeia (UE) por razões relacionadas com a nacionalidade ou o local de residência do cliente. Com elas, os consumidores vão poder comprar a partir do sítio web que escolherem, sem serem bloqueados nem redirecionados para uma versão diferente do site.

Os comerciantes não poderão fazer discriminações baseadas na nacionalidade ou no local de residência dos clientes quanto às condições gerais de acesso, incluindo preços e condições de pagamento, em três casos específicos:

venda de bens (por exemplo, equipamentos electrónicos, mobília, vestuário) que são entregues num Estado-Membro para o qual o comerciante oferece a entrega ou que são levantados num local acordado com o cliente;
venda de serviços prestados por via electrónica, como serviços em nuvem, serviços de armazenamento de dados, alojamento de sítios web ou fornecimento de barreiras de protecção (“firewalls”);
venda de serviços prestados no local onde o comerciante exerce a sua actividade, como alojamento em hotéis, eventos desportivos, aluguer de automóveis ou bilhetes de entrada para festivais de música ou parques de diversões.
CONTEÚDOS PROTEGIDOS POR DIREITOS DE AUTOR DE FORA, POR AGORA
Os conteúdos protegidos por direitos de autor, como livros electrónicos, música descarregável e jogos online, não são abrangidos por estas regras. No entanto, uma cláusula de revisão requer que a Comissão Europeia avalie, dois anos após a entrada em vigor do regulamento, se a proibição de bloqueio geográfico deve ser alargada a estes casos. Os serviços audiovisuais e os serviços de transportes estão também excluídos do âmbito de aplicação destas normas, devendo a Comissão avaliar a situação dentro de dois anos.

O regulamento deverá agora ser aprovado pelo Conselho da União Europeia. As novas regras serão aplicáveis nove meses após a data da sua publicação oficial, ou seja, antes do final deste ano. Actualmente, 63% dos sítios web examinados num estudo da Comissão Europeia praticavam o bloqueio geográfico. Os consumidores europeus efectuam cada vez mais compras online noutros países da UE, de acordo com um inquérito publicado em Julho passado. Nos últimos 10 anos, a percentagem de europeus que fazem compras pela internet quase duplicou.

Proposto como parte do mercado único digital, o regulamento que visa prevenir o bloqueio geográfico está incluído num pacote de medidas relativas ao comércio electrónico, juntamente com uma proposta legislativa sobre entregas transfronteiras de encomendas, que será votada em plenário em Março, e outra sobre a cooperação entre as autoridades nacionais responsáveis pela aplicação da legislação de protecção dos consumidores, já aprovada pelo Parlamento Europeu em Novembro passado.

Fonte: https://shifter.pt/2018/02/uniao-europeia-fim-bloqueio-geografico-compras-online/

COVID-19 - Pacote de medidas de 18 de março 2020
No seguimento da aprovação das medidas aprovadas pelo Governo da Republica Portuguesa, passamos a expor a comunicação da AIP-Associação Industrial Portuguesa / CCI -Câmara...

Apenas um terço das lojas online cumpre normas europeias de defesa do consumidor
A Comissão Europeia e as autoridades de proteção do consumidor alertam comerciantes para se ajustarem à lei da UE. Bruxelas publicou os resultados de uma sondagem feita a...

O que falta ao comércio eletrónico em Portugal?
Os anos 2000 foram marcados pela difusão da internet e, posteriormente, pelo desenvolvimento de negócios na área do e-commerce e venda de produtos físicos online. Portugal,...

AKI com os melhores números de sempre nas vendas através da internet
Julho foi o mês mais forte de sempre do AKI nas encomendas online, com os números a subirem 168% face ao mesmo período do ano passado e as visitas a crescerem 50%. Em valor...

O Comércio tradicional está a transformar-se
O comércio tradicional está a transformar-se com o aparecimento do comércio online, que obrigam as lojas físicas a esforçar-se para atrair os clientes e modernizar-se. Em...

96% dos compradores online tencionam continuar a fazer compras através destas plataformas
Um em cada quatro portugueses vai gastar mais em compras online. A tendência é a de que os consumidores continuem a fazer mais compras através dos canais digitais. O Estudo...

Confiança e comodidade levam os portugueses a aderir ao e-commerce
Confiança e comodidade são os fatores que os portugueses consideram fundamentais para aderir ao e-commerce. De acordo com um estudo publicado pela Levelsource, e que inquiriu...

E-commerce. Cada vez mais compras online e com tendência para subir
Com cada vez mais pessoas a utilizarem a Internet e a fazerem compras online, o comércio eletrónico está num momento de viragem potenciado pela combinação entre o social e o...

Brasil e Portugal assinam acordo para ampliar e-commerce entre países
Parceria deve diminuir tempo médio para entrega de encomendas registradas de 40 dias úteis para 12 dias após liberação pela Alfândega. Brasil e Portugal assinaram nesta...

Metade das compras 'online' nacionais são feitas em retalhistas que operam em Portugal
Metade das compras na Internet feitas em Portugal é realizada em retalhistas que operam no mercado português e um quinto em entidades que operam na Europa, de acordo com um...

close Estamos a usar cookies para lhe dar a melhor experiência em nosso site. Ao continuar a utilizar o nosso website concorda com a nossa utilização de cookies.
Para mais informações leia a nossa Politica de Privacidade

top